Notícias


Mosteiro de Campo Maior: Profissão Solene de Soror Joana Filipa da Silva (com fotos)





Descubra mais aqui
Na manhã de outono de 7 de outubro, mas de céu limpo e temperaturas elevadas a lembrar o verão, a bela igreja do Mosteiro da Imaculada Conceição, em Campo Maior, encheu-se de familiares, amigos e diocesanos que testemunharam a profissão solene de Soror Joana Filipa da Silva, monja da Ordem da Imaculada Conceição.

Tal como a Ordem da Imaculada Conceição explicou “Soror Joana Filipa da Silva sentindo-se seduzida pelo amor eterno de Deus, depois de um aquilatado processo de discernimento vocacional, decidiu responder a este amor com a oferta radical de toda a sua vida ao serviço do Altíssimo e da bem-aventurada Virgem Maria, segundo o carisma inspirado a Santa Beatriz da Silva”.

A profissão religiosa aconteceu na celebração da Eucaristia, presidida por D. Francisco José Senra Coelho, Arcebispo de Évora e animada liturgicamente de forma magistral pela Comunidade das Monjas, maioritariamente formada por jovens que com talentos para a música interpretaram instrumentalmente e vocalmente cânticos que a todos encantaram.

À homilia, o Prelado eborense disse: “Soror Joana és para nós um dom imenso. Queremos merecer-te na tua fidelidade, com a nossa fidelidade. Que a Senhora da Conceição, Padroeira desta Arquidiocese, seja sempre o conforto, a inspiração, o sonho de mais e mais, na tua vida e na vida desta Igreja particular. Rezamos contigo na alegria deste dia. Pedimos-te que leves contigo esta Igreja e que peças ao Senhor na tua oração mais vocações. Porque sem famílias não teremos Igreja, pede ao Senhor santas famílias. Que a tua vida seja uma oblação, essa vela que se gasta, essa luz que se queima para que a Igreja seja luz do mundo.”

Após a homilia, Soror Joana fez “voto público e solene a Deus e comprometeu-se diante da Igreja a viver em obediência, sem próprio e em castidade, com perpétua clausura, segundo a Regra da Ordem da Imaculada Conceição (CC.GG 27), por toda a sua vida”, explicou a Comunidade.

Outro momento marcante da celebração foi quando Soror Joana prostrada por terra como que morrendo como semente fecunda, indicou a todos o caminho e a meta para a felicidade: a comunhão de vida com Deus, na eternidade, através de Maria Imaculada.

“A vocação integralmente contemplativa vivida em clausura, segundo os critérios que pautam a sociedade atual, é uma existência sem sentido, desperdiçada. No entanto, a entrega da vida de soror Joana, segundo o mistério do amor, é um grito de esperança que Deus lança na noite deste mundo”, afiançam as Monjas concepcionistas do Mosteiro de Campo Maior, que desafiam a todos a elevarmos a nossa oração a Deus “pela fidelidade de soror Joana à sua vocação e pelos jovens, para que aceitem o desafio de viver a aventura de seguir Jesus, o único que pode saciar os seus desejos mais profundos”.


Até 2 de fevereiro de 2024, no Mosteiro das Concepcionistas:
Presépio Artístico em Campo Maior



Neste tempo de Natal, tempo em que celebramos com particular intensidade e grande admiração o mistério de um Deus que se faz homem para ser “Deus-Connosco” e fazer de nós “deus-com-Ele”, queremos convidar para visitar o nosso Presépio Artístico que está em exposição desde o dia 8 de dezembro até ao próximo dia 2 de fevereiro de 2024.

Este ano o presépio reveste-se de uma especial importância por estarmos a celebrar os 800 anos do presépio de Greccio, a primeira “representação” do mistério de Belém, feito por S. Francisco de Assis em Greccio. Assim, para assinalar de forma solene este acontecimento, o Santo Padre concedeu a possibilidade receber indulgência plenária, todo aquele que visite, contemple e reze (segundo a forma prevista para as Indulgências) diante de um presépio numa Igreja Franciscana, como é a nossa.

Para a nossa comunidade, que ao longo dos últimos anos tem investido neste trabalho do Presépio Artístico, é uma grande alegria poder celebrar desta forma este ano jubilar e poder partilhar com todos a grande riqueza que a Igreja oferece.

No âmbito deste centenário a Família Franciscana, assim como toda a Igreja, tem realizado várias iniciativas comemorativas. Neste sentido, está a decorrer em Lisboa, até ao dia 6 de janeiro, uma exposição de presépios. Esta exposição distribui-se por 3 museus (Seminário da Luz, Museu de Lisboa – Santo António e Museu do azulejo), sendo que os presépios expostos no museu de Lisboa e no museu do azulejo são presépios de colecionadores particulares, e os presépios expostos no Seminário da Luz são presépios pertencentes ao Concurso Nacional de Presépios promovido pela Província Portuguesa da Ordem Franciscana. A nossa comunidade, com muita alegria e unindo-se em comunhão à Ordem Franciscana, participou neste concurso com um Diorama que representa um pouco daquilo que tem vindo a ser o nosso trabalho comunitário nos presépios artísticos ao longo dos anos.

Esperamos sinceramente que este grande tesouro da indulgência que a Igreja oferece este ano possa chegar a muitas almas e que neste Natal nasça Jesus verdadeiramente no meio de nós. Que a beleza de cada presépio nos revele a verdadeira Beleza d’Aquele que tudo criou. Um Santo Natal!

A Comunidade

Descrição do presépio de Greccio por um biografo de S. Francisco:

Mui digno de piedosa e perene memória foi o que ele fez três anos antes da sua gloriosa morte, perto de Greccio, no dia da Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Vivia nessa comarca um homem, de nome João, de boa fama e melhor teor de vida, a quem o bem-aventurado Pai queria com singular afeição, pois sendo ele de nobre e honrada linhagem, desprezava a prosápia do sangue e aspirava unicamente à nobreza do espírito. Uns quinze dias antes do Natal, Francisco mandou-o chamar, como aliás amiúde fazia, e disse-lhe: «Se queres que celebremos em Greccio o próximo Natal do Senhor, vai imediatamente e começa já a prepará-lo como vou dizer. É meu desejo celebrar a memória do Menino que nasceu em Belém de modo a poder contemplar com os meus próprios olhos o desconforto que então padeceu e o modo como foi reclinado no feno da manjedoura, entre o boi e o jumento». (…) E o dia chegou, festivo, jubiloso. Foram convocados irmãos dos vários conventos em redor. Homens e mulheres da região, coração em festa, prepararam, como puderam, círios e archotes para iluminarem aquela noite que viu aparecer no céu, rutilante, a Estrela que havia de iluminar todas as noites e todos os tempos. Por fim, chega Francisco. Vê que tudo está a postos e fica radiante. Lá estava a manjedoura com o feno e, junto dela, o boi e o jumento. Ali receberia honras a simplicidade, ali seria a vitória da pobreza, ali se aprenderia a lição melhor da humildade. Greccio seria a nova Belém.

(…) é celebrado o rito solene da Eucaristia sobre a manjedoura, e o sacerdote que a celebra sente uma consolação jamais experimentada.

Francisco reveste-se com os paramentos diaconais, pois era diácono e, com voz sonora, canta o santo Evangelho. A sua voz potente e doce, límpida e bem timbrada, convida os presentes às mais altas alegrias. Pregando ao povo, tem palavras doces como o mel para evocar o nascimento do Rei pobre e a pequena cidade de Belém.

(…). Terminada a solene vigília, todos voltaram para suas casas cheios de inefável alegria. (Tomás de Celano, Vida Primeira (1 C 84-86))

sexta-feira, 21 de abril de 2023

Vocações no Mosteiro da Imaculada Conceição em Campo Maior



No rescaldo da Semana de Oração pelas Vocações, o noviciado das Monjas Concepcionistas do Mosteiro de Campo Maior (Portugal) é neste momento constituído por (da esquerda para a direita na foto): Marketa (Margarida) da República Checa, aspirante; Raquel de Málaga – Espanha, postulante; sor Carmen Maria dos Anjos de Elvas – Portugal, noviça; sor Graça Maria da Eucaristia de Elvas – Portugal, noviça; sor Ana Maria do Espírito Santo, de Elvas – Portugal, noviça.


Adoração do Santíssimo no Mosteiro de Campo Maior



Em reposta ao apelo de oração do Arcebispo de Évora, todos os dias desde as 6:30 da manhã até às 20:30, com algumas pequenas interrupções, “a Comunidade apresenta-se diante do Senhor para o adorar em nome de toda a humanidade”, informam as Monjas Concepcionistas de Campo Maior, acrescentando que “de quarta para quinta-feira a comunidade fica de vela toda a noite com o Santíssimo e oferece essas horas de Adoração especialmente pelos sacerdotes e vocações à vida sacerdotal. Aos domingos a Adoração é na igreja do Mosteiro e a porta está sempre aberta. Ao final do dia, pelas 18:30, rezamos o terço e as vésperas com o povo.”


Peregrina da JMJ ingressa no Mosteiro de Campo Maior



Markéta Janovska, de 20 anos de idade, oriunda da cidade e paróquia de Valašské Meziříčí, na Aldeia Jarková, Diocese de Olomouc (República Checa), estudava Psicologia na Universidade em Brno, vai ingressar no Mosteiro de Campo Maior.

“Visitou o Mosteiro da Ordem da Imaculada Conceição em Campo Maior, na peregrinação em que seguia para a JMJ Lisboa e aqui teve um encontro forte com o Senhor. Veio fazer experiência no princípio de Setembro e por ela já não voltaria a casa. Vem definitivamente no dia 16 de março”, informam as Monjas Concepcionistas daquele Mosteiro de clausura.



Mosteiro de Campo Maior: Prelado eborense visita o Presépio artístico



No sábado, dia 13 de janeiro, pelas 16h00, o Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho celebrou a Oração de Vésperas no Mosteiro da Imaculada Conceição, em Campo Maior, com a Comunidade de Monjas Concepcionistas franciscanas.


47º aniversário da canonização de
Santa Beatriz de Silva.



No dia 3 de Outubro de 1976, o Papa Paulo VI canonizou Beatriz de Silva, Fundadora da Ordem da Imaculada Conceição.

Durante a missa, ele disse o seguinte na homilia.

“... Santa Beatriz de Silva ainda quer nos dizer uma última palavra esta manhã. É talvez a palavra mais importante, porque nela está fechado o segredo de sua experiência espiritual e o segredo de sua santidade.

Essa palavra é o nome de Maria e mais especificamente Maria Imaculada. A limpeza branca da Virgem foi o ideal da sua vida; sublinha o seu primeiro biógrafo: «Foi-lhe aumentando a graça de uma devoção singular à Conceição sem manchas da Rainha do Céu, da qual, desde que algo soube, foi incrivelmente devota». Essa devoção foi legada, como herança significativa, às suas filhas espirituais, prevendo que ela fosse a característica da nova Ordem, «uma Ordem - e agora usamos as expressões de outro antigo biógrafo seu - na qual por dever, não menos que por significado de hábito e regra, aprovada pela Santa Igreja de Roma, seja essa Santíssima Conceição da Virgem gloriosa, honrada, afirmada e exaltada com contínuos louvores». Desta forma, não poucos séculos antes da proclamação do dogma, e enquanto as discussões teológicas ainda ferviam, a Imaculada Conceição se manifestava como força viva na história da salvação e na vida da Igreja, suscitando uma Ordem contemplativa que se inspirava pureza e fulgor da «Toda pura» e recebia dela energias para uma mais generosa consagração a Cristo, no esforço quotidiano para não afastar nada da doce soberania do seu amor.”

sexta-feira, 21 de abril de 2023

Tomada de Hábito da Carmen Herves



A Comunidade das Monjas Concepcionistas do Mosteiro da Imaculada Conceição, de Campo Maior, tem a alegria de comunicar que às 11 horas do próximo Sábado, 11 de fevereiro (dia de Nossa Senhora de Lourdes – a Imaculada Conceição), terá lugar na Igreja do Mosteiro, a celebração de Iniciação à Vida Religiosa (Tomada de Hábito) da Carmen Herves, presidida pelo Senhor Arcebispo, D. Francisco Senra Coelho. Esta celebração será precedida por uma vigília de oração a acontecer nesta mesma Igreja às 21h do dia anterior, sexta-feira, 10 de fevereiro.

De descendência espanhola, mas a viver desde sempre na arquidiocese de Évora, a Carmen tem 27 anos e é a mais nova de 12 irmãos. Os seus pais vieram para Portugal em missão como itinerantes do Caminho Neocatecumenal e foi neste ambiente que cresceu, caminhou e experimentou o amor de Deus na sua vida.

Com um espírito missionário, esta jovem já correu o mundo, tendo estado seis anos em missão na China e alguns meses na Etiópia, mas foi durante a pandemia, quando as fronteiras dos países fecharam, que o Senhor a chamou para lhe dizer que a sua missão passava pela clausura do Mosteiro da Imaculada Conceição de Campo Maior, onde entrou em Janeiro de 2022, para assim iniciar o seu caminho de discernimento e formação nesta Comunidade. A Carmen junta-se, assim, a uma das suas irmãs mais velhas, a Sor Maria Imaculada, que está no Mosteiro há 19 anos.

A celebração da Tomada de Hábito marca o início do tempo de Noviciado, que é um tempo forte de formação, de conhecimento da Ordem e da Comunidade e de encontro pessoal com o Senhor, que a chama a viver uma vida totalmente entregada à oração e à contemplação, desde o ocultamento silencioso.

Damos graças a Deus por mais uma jovem que decide arriscar tudo nas Suas mãos, em prol de toda a humanidade.

A Carmen conta com a oração de todos neste dia. Rezamos por ela, para que por intercessão de Nossa Senhora, permaneça sempre fiel ao carisma que o Espírito Santo inspirou a Santa Beatriz da Silva, fundadora da Ordem da Imaculada Conceição, para fazer da oração silenciosa e oculta no retiro do claustro a sua missão, que chega até aos confins do mundo.

A Comunidade

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

53 dias depois, as Monjas Concepcionistas de Campo Maior, recebem NOVA POSTULANTE



Definitivamente o “Divino caminho” (Regra de Júlio II, Capítulo II, 2) proposto por Beatriz da Silva continua atrativo e actual. E não poderia ser de outra forma, pois nasce da fidelidade ao Evangelho.

Mais uma jovem alentejana se lança na “divina aventura” de seguir Cristo ao jeito de Santa Beatriz da Silva, levando a Mãe de Deus, entronizada no seu coração, como exemplo de vida, para imitar a sua conduta inocentíssima (cf. Regra de Júlio II, Capítulo III, 7).

A jovem em questão é a elvense Ana Sinfrónio e irmã mais velha da Graça, a jovem que entrou no mesmo Mosteiro Concepcionista de Campo Maior em Julho passado.

Pertencente ao Caminho Neo-Catecumenal, a Ana tem 23 anos e é professora do Ensino Básico.

Chegou de Elvas, no dia da festa do nascimento da bem-aventurada Virgem Maria (8 de Setembro), cuja maternidade divina foi o princípio da nossa salvação, acompanhada pelos pais e irmãos.

Ana, no ocultamento e oração silenciosa da tua vida escondida com Cristo em Deus, Exulta de alegria no Senhor, pois Aquele que te chama para te falar ao coração (cf. Os 2, 16), pede-te que com e como José não temas e procures o último lugar, pois Ele deve crescer, e tu diminuir (cf. Jo 3, 30); pede-te que como Belém-Efratá, sejas pequena, a mais pequena para que em ti floresça, reine e chegue a todos os que cruzarem a tua vida, Aquele que é a nossa Paz, Cristo Redentor. Aquele que «A Virgem conceberá e dará à luz, o ‘Emanuel’, o ‘Deus connosco’».

Como sentinela vigilante espera o Senhor que vem (cf. Lc 12, 37), para que quando o Senhor chegar, encontre orantes sobre a terra. Até porque: o Senhor, por um misterioso desígnio, fez que os monges partilhem com os anjos, uma mesma missão: Adorar e louvar, interceder e suplicar… dia e noite, sem cessar

Seja a tua vida, oculta, laboriosa e orante um hino de louvor em honra da Imaculada e para a glória de Deus (cf. Ef 1, 14) e possas cantar com a Virgem Imaculada: Magnificat, “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim” (Gl 2, 20), “para louvor da sua glória” (Ef 1, 14).

quarta-feira, 8 de setembro de 2021

CONCEPCIONISTAS DO MOSTEIRO DE CAMPO MAIOR RECEBEM
nova Postulante



Passados quatro anos, um mês e 17 dias, volta a abrir-se a clausura, das Filhas de Santa Beatriz em Campo Maior, para receber uma nova postulante.

Desta vez, a jovem que começa a viver neste “divino caminho” (Regra, Capítulo II, 2), levando a Mãe de Deus, entronizada no seu coração, como exemplo de vida, para imitar a sua conduta inocentíssima (cf. Regra, Capítulo III, 7) é a Graça Sinfrónio.

Chegou de Elvas por voltas das 18.30h, acompanhada pelos pais, irmãos e por Sua Excia Revma o Sr. D. José Alves, arcebispo emérito de Évora.

Pertencente ao Caminho Neo-Catecumenal, estudou fisioterapia.

A ligação familiar à Senhora do Carmo de Moura, levou-a a escolher do dia 16 de Julho, dedicado à Rainha do Monte Carmelo para dar início a esta divina aventura de seguir a Cristo mais de perto, no caminho de radicalidade evangélica inaugurado por Santa Beatriz da Silva, rejeitando tudo o que é indigno do cristão e procurando seguir com fidelidade as exigências da fé.

Pelo ocultamento e oração silenciosa da sua vida escondida com Cristo em Deus, a Graça aponta para Aquele que se levantou da Sua santa morada e veio habitar no meio do seu povo, para que a humanidade volte a aderir ao Senhor (cf. Zac 2, 14-17).

E isto, guiada pela mão dAquela que é Bendita pois trouxe em Seu ventre o Filho do eterno Pai e é fiel à Vontade dAquele (cf. Mt 12, 46-50) de quem é Filha, Mãe e Esposa.

Como sentinela vigilante espere o Senhor que vem (cf. Lc 12, 37), para que quando o Senhor chegar, encontre orantes sobre a terra.

Seja a sua vida, oculta, laboriosa e orante um hino de louvor em honra da Imaculada e para a glória de Deus (cf. Ef 1, 14) e possa cantar com a Virgem Imaculada: Magnificat.

sábado, 17 de julho de 2021

Rua cerca do Convento, s/n
7370-063 Campo Maior

Google Icons

info@concepcionistascampomaior.com